Notícias

A- A+

Apoio que salva vidas

07/2018

Centro de Valorização da Vida dispõe de linha gratuita de prevenção do suicídio

Divulgação O CVV instalado em Alagoas conta com o apoio da Unimed Maceió

O CVV instalado em Alagoas conta com o apoio da Unimed Maceió

Um trabalho voluntário que salva vidas. É ouvindo e dando apoio emocional de maneira gratuita, que o Centro de Valorização da Vida, em Maceió desde setembro de 2017, evita um ato extremo: o suicídio. Fundado em São Paulo, em 1962, o CVV é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal, desde 1973.

O CVV presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato. A instituição é associada ao Befrienders Worldwide, que reúne entidades congêneres de todo o mundo, e participou do grupo que elaborou a Política Nacional de Prevenção do Suicídio, do Ministério da Saúde, com quem mantém, desde 2015, um termo de cooperação para a implantação de uma linha gratuita nacional de prevenção do suicídio.

A linha 188 começou a funcionar no Rio Grande do Sul e, em setembro de 2017, iniciou sua expansão para todo o Brasil, concluída em junho passado, com a integração de todos os estados.

Em Alagoas, o atendimento é feito por telefone através da linha 188, correspondência, chat, voip ou e-mail. O Centro de Valorização da Vida instalado no Estado conta com o apoio da Unimed Maceió.

Ajuda em números

O Centro de Valorização da Vida realiza mais de 2 milhões de atendimentos anuais e conta com 2,4 mil voluntários em todo o país. O voluntário do CVV doa tempo e atenção para quem precisa conversar e não tem conseguido fazer isso com as pessoas próximas. Para ser voluntário, basta ter mais de 18 anos, pelo menos quatro horas disponíveis por semana e vontade de ajudar pessoas. Os interessados participam de um curso preparatório gratuito.

Saiba mais

O suicídio é considerado pelo Ministério da Saúde como um problema de saúde pública, tirando a vida de uma pessoa por hora no Brasil, mesmo período no qual outras três tentaram se matar sem sucesso. Trata-se de um problema que se pode prevenir na grande maioria das vezes e esse é um dos maiores esforços do CVV. O estudo e a discussão do tema suicídio é uma das formas mais eficientes de se promover a prevenção, que só é possível quando a população, os profissionais da saúde, os jornalistas e governantes têm informações suficientes para conduzir as medidas adequadas e ao seu alcance nessa frente.

O CVV assumiu como tarefa, desde a sua criação, estimular essa discussão, ação esta que passou a merecer mais empenho nesses últimos anos.