Notícias

A- A+

Prevenção é o primeiro passo

10/2018

O mês de outubro está terminando, mas o cuidado vale para o ano inteiro

Assessoria de Comunicação - Unimed Maceió Dra. Francisca Beltrão da Matta, mastologista cooperada da Unimed Maceió

Dra. Francisca Beltrão da Matta, mastologista cooperada da Unimed Maceió

O câncer de mama é o segundo com maior incidência entre as mulheres no Brasil, perdendo apenas para o câncer de pele não melanoma, que possui pequeno potencial de mortalidade. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que, em 2018, serão cerca de 59.700 novos casos desse tipo de câncer no Brasil. O Outubro Rosa é um movimento que, anualmente, lembra a importância da prevenção e do tratamento precoce.

A mastologista da Unimed Maceió, Dra. Francisca Beltrão da Matta, explica que, quando diagnosticado precocemente, o câncer de mama pode ser tratado e curado. “A patologia ainda mata muitas mulheres porque, infelizmente, não é diagnosticada no início, mas em estágios mais avançados. Nesses casos, as taxas de mortalidade são mais altas. Se diagnosticado e tratado precocemente, ou seja, em estágio inicial, o câncer de mama tem até 95% de chance de cura”, destaca a especialista.

O diagnóstico precoce é feito principalmente com a mamografia anual a partir dos 40 anos na população em geral (chamada de risco habitual) e o exame físico realizado por um especialista. Dra. Francisca ressalta que, dependendo da idade em que a doença surgiu na família, a mamografia talvez precise ser feita antes dos 40 anos, para se tentar esse diagnóstico precoce, e outros exames poderão ser solicitados para complementação em casos especiais, como ressonância e ultrassonografia.

“Pessoas com câncer de mama em parente de 1º grau [pai, mãe, irmão(a) ou filho(a)] antes dos 50 anos, parente com câncer de mama e ovário ao mesmo tempo, parente com câncer de mama bilateral ou parente homem com câncer de mama devem ser avaliadas por um mastologista [e também por um oncogeneticista] de forma especial, pois podemos estar diante de um risco aumentado [hereditário] de desenvolver a doença”.

“Vale salientar que a mamografia, no intervalo de tempo recomendado pela Sociedade Brasileira de Mastologia, não é cancerígena e não pode ser substituída por outros exames em estudo ainda, como, infelizmente, vem sendo divulgado por fontes duvidosas. Tais inverdades sendo disseminadas causam um prejuízo imensurável à saúde da população”, alerta Dra. Francisca Matta. 

Unimed Maceió na luta da prevenção

Há cinco anos, a Unimed Maceió realiza uma campanha de prevenção do câncer de mama, pensando na saúde de suas clientes, médicas cooperadas e colaboradoras.  Anualmente, mulheres com idade entre 50 e 69 anos, com a mamografia atrasada há dois anos, são convidadas pela equipe do Viver Bem – Medicina Preventiva da Unimed - a realizar o exame.

Chegando ao final de outubro, o coordenador da Oncologia da Unimed Maceió, Dr. Divaldo Alencar, faz um balanço da campanha. “Tivemos um saldo extremamente positivo. Iniciamos o Outubro Rosa de forma mais precoce e a aceitação das nossas clientes foi excelente. De 192 mulheres que fizeram o exame até o momento, duas foram diagnosticadas com a doença e dois casos ainda estão sendo investigados. Esse fato nos motiva a realizar a mesma estratégia no próximo ano, abrangendo cada vez mais mulheres e facilitando o acesso à prevenção”, destaca.

A Oncologia da Unimed Maceió funciona como um centro de tratamento oncológico, com atendimento por oncologista clínico, hematologista, oncologista pediátrico, cirurgião oncológico e radioterapeuta.

“Ainda contamos com uma equipe multidisciplinar composta por enfermeiros, farmacêutico, fisioterapeuta, nutricionista, fonoaudiólogo e psicólogo. Todos especializados no cuidado com o paciente oncológico. Realizamos procedimentos diagnósticos [ex.: biópsia de medula óssea, mielograma] e infusão de quimioterapia [na sala de infusão de quimioterapia ou em quarto individualizado]”, explica Dr. Divaldo Alencar.