Notícias

A- A+

Precisamos falar sobre a sepse

10/2018

Médica alerta para o risco da infecção generalizada e para a importância da rapidez no tratamento

Assessoria de Comunicação - Unimed Maceió Assessora de Gestão da Qualidade do Hospital Unimed Maceió, a médica Sandra Azevedo fala sobre a sepse epse. Confira!

Assessora de Gestão da Qualidade do Hospital Unimed Maceió, a médica Sandra Azevedo fala sobre a sepse epse. Confira!

O 13 de setembro é o Dia Mundial da Sepse. A data alerta para o risco da infecção generalizada e para a importância da rapidez no tratamento. Afinal, tempo é vida.
 
Assessora de Gestão da Qualidade do Hospital Unimed Maceió, a médica Sandra Azevedo responde a cinco questões fundamentais sobre a sepse. Confira!
 
O que é a sepse?
A sepse é um conjunto de manifestações graves em todo o organismo e é produzida por uma infecção. É também conhecida como infecção generalizada.
 
Quais são os sintomas?
São aqueles associados com a fonte de infecção, como tosse, por causa de uma pneumonia ou a dor abdominal, se o foco for uma apendicite. Pode haver sintomas como febre, calafrios, aumento das frequências cardíaca e respiratória, alteração do estado mental, com confusão, agitação ou sonolência, redução do volume urinário.
 
Qual o tratamento?
Os pacientes devem receber antibioticoterapia adequada o mais rápido possível. As demais medidas terapêuticas são avaliadas individualmente em função da gravidade de cada caso.
 
Como evitar a sepse?
Prevenindo a infecção. Também é possível impedir a sepse com um tratamento adequado, e rápido, de qualquer infecção grave.
 
Orientações importantes:
• Tomar antibióticos da forma como foram prescritos
• Completar todo o tempo de tratamento com o antibiótico
• Não tomar antibióticos desnecessariamente, pois isso aumenta as chances de desenvolver infecções resistentes aos antibióticos
• Não tomar antibióticos sem prescrição médica