Notícias

A- A+

Unimed Maceió reafirma compromisso com clientes, médicos e sociedade

01/2018

Ter uma vida saudável não se restringe apenas ao não adoecer, englobando também o cuidado com a qualidade de vida e bem-estar do indivíduo sob todos os aspectos. Entendendo e apostando nesse conceito, a Unimed Maceió tem priorizado programas e ações de promoção da saúde, como destaca, nesta entrevista, o presidente da empresa, Dr. Daniel de Macedo Veras.
 
Segundo pesquisa promovida pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), 57% dos brasileiros almejam ter um plano de saúde – é o terceiro “bem” mais desejado pela população, perdendo apenas para educação e casa própria. Como o senhor avalia esse indicador?
 
Dr. Daniel – O plano de saúde cobre uma importante lacuna deixada pela saúde pública, para uma parte da população que tem recursos para pagar pela assistência suplementar. Ou seja, tem um papel relevante para uma parcela da sociedade. Por outro lado, sua sustentabilidade como negócio é constantemente confrontada com fatores externos, a exemplo da judicialização da saúde e o uso consciente do plano. Estando sempre no centro do debate a necessidade da construção de um modelo mais sustentável para a sociedade, tornando a cadeia de saúde, como um todo, mais equilibrada e eficiente. Os modelos mais avançados de gestão de saúde suplementar preveem a participação ativa de todas as partes, ou seja, operadoras, médicos, hospitais, clínicas, laboratórios e pacientes se responsabilizando pela utilização racional dos serviços e recursos em prol da coletividade.
 
Segundo projeções do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar, até 2030 os gastos das empresas privadas de saúde mais que duplicarão, passando de cerca de R$ 106 bilhões por ano para R$ 283 bilhões. Por isso, é fundamental um debate amplo e transparente entre todos os agentes envolvidos: operadoras, clientes, Governo e Judiciário, para que se promova uma relação “ganha-ganha”.
 
Os planos de saúde surgiram para prestar assistência médica suplementar, com foco no tratamento e cura de doenças. Como ocorreu a mudança para uma visão de prevenção?
 
Dr. Daniel – Essa mudança de conceito está ligada a alguns fatores importantes, que envolvem a compreensão da importância da mudança de hábitos para a prevenção de fatores de risco e, consequentemente, do adoecimento. Junto a isso, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que regula o setor, tem incentivado as operadoras a adotar programas preventivos.
 
Como a Unimed Maceió atua na prevenção e promoção da saúde?
 
Dr. Daniel – Entendemos que nosso objetivo vai além da geração de emprego, trabalho e renda. Temos um papel social no desenvolvimento e transformação da comunidade em que estamos inseridos. No caso da prevenção, iniciamos essa trajetória há mais de 15 anos, percebendo a necessidade de proporcionar educação, informação e oportunidades para as pessoas se conscientizarem sobre seu papel como protagonistas da própria saúde. Assim, surgiu o Viver Bem, serviço de Medicina Preventiva que atua junto aos clientes e à sociedade local.
 
Como se dá esse trabalho?
 
Dr. Daniel – O Viver Bem age em várias frentes, de forma multidisciplinar, seja através de programas de gerenciamento de pacientes crônicos, seja pelo programa Viver Bem Praia, que é gratuito e aberto à comunidade, ou em palestras e ações educativas nas empresas clientes da Unimed Maceió.
 
Como a Unimed Maceió está se preparando para 2018?
 
Dr. Daniel – Este ano, revisamos nossa ideologia organizacional, definindo como negócio da Unimed Maceió o “cuidar de pessoas”, e tendo como valores “qualidade, cooperação, transparência, senso de dono e respeito”. Essa nova identidade direciona nosso planejamento estratégico para os próximos anos, reforçando o foco em nossos públicos-alvo: beneficiários, médicos cooperados e colaboradores.