Dicas de Saúde

A- A+

Obesidade mórbida infantil: orientações para prevenir o problema

A obesidade acomete cada vez mais crianças. Os cuidados com a alimentação infantil devem começar logo após o desmame

A obesidade é uma das doenças nutricionais que mais crescem no mundo. E esse mal vem acometendo cada vez mais as crianças, a ponto de a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter criado o Dia Mundial de Conscientização sobre a Obesidade Mórbida Infantil, comemorado no mês de junho. O maior problema da obesidade não é a estética e sim as comorbidades - doenças dela decorrentes.
A alimentação infantil inicia-se com o nascimento da criança, quando a mãe começa a amamentação. O aleitamento materno é a melhor e mais completa alimentação para o bebê nos primeiros seis meses de vida. Mães que ganham muito peso durante a gestação e que desenvolvem diabetes têm grande possibilidade de ter uma criança obesa.
Calcula-se que aproximadamente de 20% a 25% das crianças brasileiras apresentem excesso de peso na faixa etária entre 7 e 14 anos. A obesidade é uma herança poligênica, então, quando nenhum dos pais é obeso, o risco de obesidade é de 9%; quando um dos pais é obeso o risco já aumenta para 50% e, quando ambos são obesos, o número já é maior, 80% de chances de ter uma criança obesa. Para combater e prevenir esse mal é necessário que a criança tenha um local certo para fazer as refeições. Os pequenos também não devem ser acostumados a fazer as refeições assistindo TV. É importante, ainda, comer devagar e mastigar bastante os alimentos. Toda a família tem que colaborar com a reeducação alimentar.